domingo, 31 de julho de 2016

A Musa- Joana André

Olá Sonhadores/as
Antes de tudo quero agradecer á Chiado Editora por ter fornecido esta publicação que acabou por ser bastante importante na minha vida.
Este livro trata-se de um grupo de amigos em que já adultos cada um tem a sua história, o seu casamento e o seu trabalho, portanto não tem qualquer contacto uns com os outros.
E este livro está baseado de numa história ou um acontecimento que a 15 anos atrás marcou muito as suas vidas.
Não quero contar o que aconteceu porque gostava de deixar alguma cuuriosidade para as pessoas lerem.
Além disso, lê-se muito bem e é uma história que ficamos com vontade de ler mais e mais quando dás conta acabou.
Eu gostei muito e espero ler em breve outro livro desta escritora e só de curiosidade ela vive aqui no meu municipio, será que já passei por ela alguma vez?
Agora fica o mistério kkkk

sábado, 30 de julho de 2016

Am I that easy to forget?


Não passo de uma memória ou de uma recordação inacabada como fotografias antigas num papel velho revestido da cor castanha que já não fazia sentido estar pendurado numa parede.
Os meus poemas foram esquecidos nos olhos daqueles que não quiseram realmente ver.
A minha voz foi derramada para que nunca mais pudesse a ter de volta.
Os meus pensamentos foram transformados em uma lagoa azul do qual eu tenho vindo a sentir que cada vez mais sinto que estou afogar-me nela junto com eles.
As lágrimas que derramei tantas vezes por alguém estão a secar e agora só resta um coração que aprendeu a bombear.
Os meus feitos neste mundo tem sido vistos como algo inexplicável e tem sido visto como aquele banco verde num jardim coberta de musgo e borboletas em que todos os dias passam pessoas por aquela cadeira e vão embora sem qualquer tipo de sentimento.
Como se já não fosse pior a vida só trouxe o sentimento de culpa que parece que está envergado na minha pele e nas minhas camisolas de lã.
Parece fácil esquecer-me como se nunca tivesse sido um vento que tocou na face das pessoas, como se nunca tivesse suportado tudo para poder fazer o bem, como se nunca tivesse feito promessas e demonstrado que desejaria ficar aqui.
Talvez a culpa é minha e ainda não apercebi disso como é hábito provarem-me todos os dias que ela é minha, só minha...
Agora que fui esquecida como voltarei a encontrar o meu próprio abrigo?
Porque até as ondas do mar castigam o meu corpo e os grãos de areia que ficam na minha pele parecem os meus problemas que não querem libertar e só posso libertar se o mar ajudar-me.
Neste vazio existe uma dor que perdura como um perfume e anoitece sobre mim.
E assim serei esquecida!

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Momentos DIY

Olá meninas!
Hoje eu vim falar de decoração em dar dicas de inspiração, visto que estamos no verão e alguns  já estão de férias, e é nesta altura em que a nossa mente abre-se para pôr em prática certas ideias como exemplo, o nosso quarto.
Ultimamente, ando com um bloqueio criativo, eu não sei para onde foi a minha inspiração, eu sou uma pessoa que costuma escrever pensamentos e mesmo aqui os meus posts no meu blog, mas vazou tudo da minha mente.
Eu uso Pinterest, Tumblr, Youtube, Weheartit para inspirar, mas nada, apenas vou esperar um milagre.
Já a muito tempo eu tinha feito este post, mas nunca ganhei coragem para publicar, então estive analisar ele e vou publicar sim.
E espero que gostem!

Este DIY é um enfeite para colocarmos o copo ou mesmo as velas e é muito simples basta termos uma pistola de cola quente e uma fita ao nosso gosto e outra fita com pompons e ao longo que vamos enrolando vamos colando assim sucessivamente



 Achei linda esta ideia com cactos, mas como não sei informar-vos exactamente qual é esse tipo de caneta poderiámos utilizar papel de parede, fazermos o desenho do cacto e irmos colando ao nosso gosto.


Também acho muito importante darmos alguma cor ás paredes brancas do nosso quarto invés de pintarmos podiámos colocar fotografias de flores, caça sonhos, mandalas, tudo que esteja associado ao tipo Boho.



No meu quarto para uma decoração decidi cobrir as paredes brancas com triângulos pretos e dourados, é fácil de fazer e com a minha guitarra consegui manter um ambiente assim bem harmonioso.



Acompanhando a decoração coloquei este penduricalho que comprei na Primark.



O meu chapéu de inverno deu muito jeito e  parece aqueles momentos tipo tumblr.



Á entrada do meu quarto a primeira mensagem que eu quero ler todos os dias é lembrar-me de sorrir sempre.




E com as minhas lizes leds em coração a decoração está muito mais completa.


segunda-feira, 25 de julho de 2016

Fui a um Restaurante Japonês

Olá sonhadores/as!
Dia 24 de Julho eu e o meu namorado fizemos um ano de namoro então decidimos fazer coisas que nunca tinhamos feito juntos, então eu queria levá-lo a um restaurante que eu nunca fui e pedi ajuda a uma amiga muito querida que recomendou o restaurante Japonês chamado "Cidade do mar".
Este restaurante fica localizado na zona comercial(Vasco da Gama), fiquei muito surpreendida pelo preço amigável que eles tinham que é de que por 20 euros duas pessoas comem até não conseguirem mais.
Ou seja, eles tem o serviço de Buffet livre e a única coisa que temos mesmo que ter em atenção é as bebidas.
As comidas são muito boas principalmente a carne, alguns sushis como os acompanhentos também.
Mas como eu tenho sempre de vir de um sítio com um bom barraco, eu e o miguel (namorado) chegamos, sentamos e perguntaram quais as bebidas que queriamos, nós dissemos quais e depois o garçon não voltou mais á mesa.
Eu virei-me para o miguel a sussurar:" Então, mas ele n vem mais aqui?"... "Olha miguel ta ali uma senhora com um prato nós temos que ir lá!"
Tudo isso durou uns dez minutos.
Gostava de ter tirado fotos, mas para além de ter fome e ter esquecido, não consigo ser aquela pessoa que pará para fotografar a comida. Nah!
Em seguida, fomos passear pelo parque das nações, mas como estava muito calor só apetecia ficar sentada numa sombra a comer um gelado ou a conversar apenas.
Mas como nunca tinhamos andado de Teleférico lá fomos nós naquela de saber o preço e acabamos por ganhar coragem e fazer mais uma coisa que não fizemos juntos.
E assim foi o nosso dia com muito calor, calorias e muito amor.







 

Este foi o Oufit, uma Midi skirt vintage, uma T-shirt ás riscas da lefties e umas mocassans verdes.
Muito comfy!







Oin que fofinhos <3
P.s: aquela senhora no meio não estava preparada para a fotografia.

Espero que tenham gostado deste post!

sábado, 23 de julho de 2016

Coisas estranhas em mim


Olá!
Eu sou uma rapariga com coisas muito estranhas e ás vezes penso que sou a única com essas coisas, mas no meio disto tudo ainda existem pessoas que identificam-se com isso.
Vamos lá começar:

1- Eu tenho este vício desde pequena que já tinha perdido, mas voltou e é boliscar o braço de outras pessoas, mas só pessoas próximas tipo mãe ou namorado.
De preferência pessoas com braço fofinho então enquanto bolisco a pele e fico ali a passar com os dedos, eu chupo a minha própria língua.
Kkkk

2- Quando vou comer algo por exemplo, tenho dois iogurtes um de morango e outro de mirtilos, eu prefiro comer o de morango primeiro porque sei que o de mirtilos é melhor e adoro ficar com o sabor do melhor na boca.

3- Sempre que faço uma sandes eu tenho de tirar o miolo do pão.

4- Quando vou a uma loja ou supermercado e dá uma música que agrada eu sou capaz de dançar ali que nem uma doida. E se for num sítio que não vou todos os dias sei que essas pessoas não irão lembrar-se de mim.


5- Eu durmo no verão com cobertor porque tenho calor e frio ao mesmo tempo. 
Se tiver calor ponho a perna de fora do cobertor, mas entretanto começo a pensar que alguém de um filme de terror irá puxar a minha perna então tapo a minha perna de novo.

6- Eu falo sozinha a maior parte do meu dia, gosto de ter conversas inteligentes.

Espero que tenham gostado e se identifiquem.
Beijinhos!

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Encontrei o amor na lua



Começaste a fazer parte das minhas fantasias no momento em que deixei de fingir não sentir nada.
Pensei que talvez tinha perdido o amor que nunca mais iria sentir e que não existirá mais ninguém para demonstrá-lo.
De todas as memórias que reproduzem na minha mente a mais que vibra em mim será sempre quando beijei-te porque senti completamente nua e com uma mixagem de sentimentos.
Bem que eu queria encontrar-me de novo e precisava de uma viagem á lua para isso acontecer, bastou os nossos olhos cruzarem-se, as mordidelas marotas nos lábios começarem e as nossas roupas serem arrancadas do corpo como a gravidade que nos une.
Fizemos amor sem negação entre orgasmos e chuvas de estrelas sobre nós.
Queria que a nossa nudez preversa fosse exemplo de como é bom amar com intensidade e ir para além do lado selvagem e louco.
Precisavamos de ir á lua e talvez não voltar porque fiquei incrédula por pensar que tudo isto não tinha acontecido.
Temi que estivesse louca, mas tão apaixonada e cega que não queria que nenhum planeta chocar conosco.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Se eu tivesse mais tempo livre, eu faria isto!


Se eu tivesse mais tempo eu iria dedicar esse tempo para escrever um livro.
Sempre que agarro a motivação de fazê-lo aparece sempre algo que impede de perseguir com esse sonho talvez um pouco de preguiça, talvez a inspiração escapa, talvez não sei por onde começar, talvez tenho receio da história que vou lançar ao mundo.
A verdade é que eu partilho muito o meu desejo de realizar isso com as pessoas que tenho vontade de escrever um livro e saber como é que as outras pessoas irão reagir ou o simples facto de ter os meus livros expostos numa prateleira com o nome, a minha história e as minhas personagens.
A minha mente positiva só vai aparecer quando eu viver mais para mim e ser um pouco egoísta comigo mesma o que é díficil.
Preciso de viajar, conhecer pessoas novas, provar novas comidas e encher-me de emoções e boas vibrações.
E ainda melhor que isso é levar uma vida a sorrir, de brincadeira, emoção, gargalhadas, partilhas e imensas recordações.
De tudo isso pretendo inspirar-me até achar que é o momento certo ou talvez não devo esperar o momento certo, mas apenas escrever e escrever.

domingo, 17 de julho de 2016

Vamos inventar as estrelas do céu


Corri tantas vezes pelo nosso amor.
Foram as imensas vezes corri por esses campos de trigo perdida pensando que estava a fugir para um sítio sem fim.
Estava aborrecida contigo o suficiente para não querer demonstrar e que visses chorar, estava cansada...
Nesses anos todos aprendi a arte de contar as estrelas mesmo perdendo a conta eu voltava sempre a contar e pensava que podia dar um nome a cada uma delas.
Também pensava que poderia colorir todos os grãos de areia nos meus pés, coisas tão impossíveis...
Eu não queria fugir de ti, nem despedir-me de ti, mas queria voltar para os teus braços pedindo desculpa e mostrar-te o que eu criei, um campo cheio de lâmpadas como se fossem todas as estrelas que tento contar.
Tu gostaste sendo assim não preciso de correr mais, mas apenas beijar-te porque agora temos um céu estrelado sob nós.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Uma carta aos meus 16 anos


Olá Noemi!
Finalmente, fizeste os teus 16 anos e nesta altura da tua vida irás descobrir coisas que não estavam ditas para acontecer, mas aconteceram porque tu tinhas que aprender dessa maneira.
Tu és uma menina linda, delicada, inteligente e sobretudo muito teimosa e foram muitas vezes a tua teimosia que levou a tomar decisões erradas.
Eu sei que a religião está a aborrecer-te porque vês os teus colegas a fazerem coisas que também queres fazer, sentes que tens que estar mais como uma obrigação do que por vontade própria.
Também conheceste um rapaz e pensas que ele vai ficar contigo para sempre, sqn.
Meu amor, tu só tens 16 anos e não sabes nada da vida e pensas que já sabes e podes decidir as coisas por ti.
 Vou adiantar dizer que tudo vai parecer perfeito só que ele vai magoar-te tanto que vais ficar parada no tempo a tentar esquecê-lo e prejudicar a tua saúde.
As noites que irás perder em culpar a tua família por não terem ficado juntos, na verdade se a vossa relação não resultou é porque foi melhor assim.
Não escrevas mais textos deprimentes, não oiças músicas, não corras mais por ele porque na verdade ele não quer saber mais de ti.
Tenho de avisar-te que da forma mais ruim ele vai deixar-te marcada para sempre, a culpa não é tua, mas possa ser que com isso ganhes juízo.
Podes estar chateada com o mundo inteiro, mas isso não vai resolver nada até só vai piorar.
Não discutas tanto com a tua mãe nem te comportes como se a odiasses porque na melhor fase em que vocês estiverem mais unidas ela irá embora sem poder dar-te um último abraço porque eu tenho a certeza que a última imagem que ela teve foi de ti e do teu irmão porque ela vos ama muito.
Vive mais não tentes tirar a tua vida como se fosses Deus porque tenho a certeza de que se sobreviveste todas essas vezes é porque ainda podes mudar.
A tua rebeldia só vai contribuir para as pessoas falarem de ti, fazerem boatos e fazerem o que querem de ti por culpa tua porque és demasiado ingênua e não consegues perceber que as pessoas vão usar-te e tu é que vais acabar com uma má fama.
Prepara-te que as pessoas da religião vão pôr de parte por teres namorado com alguém que não era da religião, por isso não vale a pena viveres revoltada com o facto de que os teus amigos com quem cresceste hão de olhar para baixo e nunca mais cumprimentar-te.
Não vale a pena chorares por não chegares de madrugada a casa porque daqui uns anos vais preferir ficar em casa a ler um livro ou ter um blog que dará muito mais prazer.
Não andes a dar o teu número de telemóvel, meu deus que desespero que ter amigos tem calma e irás ver se eles serão teus amigos nos piores momentos.
Tudo o que fizeres agora não será esquecido, queres fazer melhor que isso que estás a fazer.
Pará com as dietas malucas e vontade de ser magra a todo o custo, o teu corpo vai mudar, tu vais crescer e agradar apenas a pessoa que vai te amar.
Os teus 16 anos serão a idade que mais irão marcar pela a quantidade de pessoas que entraram e sairam da tua vida.
Não tenhas pressa de conhecer o amor que irá ficar contigo de verdade, nem com os amigos que deixaram de falar contigo.
O amor da tua vida irá a aparecer respeitar-te e passar a mão na tua cabeça nos piores momentos da tua vida e ele vai dizer-te: " Mor vai tudo correr bem, nós vamos conseguir fazermos isto juntos".
Vive a vida, tu és jovem!
Tem juízo miúda!




segunda-feira, 11 de julho de 2016

Músicas que fazem parte da minha adolescência

Olá!
Hoje estou num momento nostalgia e gostava de partilhar as musicas que marcaram a minha adolescência e não deixei de escutar apesar de serem bem antigas.


Bobby Valentino- Slow Down
Isto é tão antigo, mas continua a soar tão bem nos meus ouvidos.



Ciara- Promise
Esta era daquelas músicas que apesar de ser novinha já sabia a coreografia toda e queria mesmo dançar como ela. 
E ela sempre será uma das minhas dançarinas favoritas.



Cassie- Kiss Me ft Ryan Leslie



Cristina Aguilera- Walk Away
Como artista ela nunca será esquecida muito menos o meu albúm favorito. Para mim este é com as melhores letras e contém muitas boas memsagens.
E foi bom eu ter crescido na altura em que ela lançou esse CD.

Espero que tenham gostado!







terça-feira, 5 de julho de 2016

Necessidade de ser feliz


Quero ser feliz e todas as outras pessoas deste planeta.
Sinto uma necessidade de ser feliz sendo aquela pessoa que as pessoas gostariam de ter como amiga, como irmã, como filha, como sobrinha e como namorada.
Tenho a necessidade de ser feliz só por saber que estou acordada e dou graças a Deus de providenciar um sol tão bonito aos meus olhos.
Tenho a necessidade de não ser mais julgada, criticada ou de sentir que tem o direito de tirar os meus momentos felizes, e que as pessoas á minha volta entendam que estou a esforçar-me por ser feliz.
Sabem eu quero sorrir prefiro que doa mais os maxilares do que os meus olhos de tanto chorar.
O que custa sermos felizes duma vez por todas?
Ás vezes já sofremos tanto em tantos patamares da vida e quando estamos decididos a ser felizes há sempre algo que impede.
Dentro de mim corre uma dor, uma mágoa, um desgosto enorme que por vezes apetece desaparecer de tanto tentar.
Tento incutir em mim pensamentos de força de que vou aguentar, de que consigo, de que tenho de ser forte, de que tenho de viver para mim.
Mas será que sou uma pessoa que não faz o bem para merecer tantas bofetadas de volta? 
Sou imperfeita e só Deus sabe o quanto, mas eu não sou um monstro.
Tenho necessidade de ser feliz porque estou cansada de sofrer e deixar de viver porque o meu cansaço deixa deitada numa cama.

sábado, 2 de julho de 2016

A morena dos quadros vermelhos

Parecia levar uma vida de solidão e muita união consigo mesma.
A Carol era uma mulher determinada, muito dona de si própria, criativa e sem pudor.
O seu estilo era livre tinha uma casa cheia de plantas enormes e cactos era mais como uma jardineira amadora.
O estúdio tinha uma mesa com com chávenas de café das noites em que ela perdeu pintando uns quadros cheios de amor, cheios de melancolia e uma vida que era apenas definida por experiência.
Aqueles quadros falavam da história de uma mulher que amou de mais um homem, mas nessa história não a impossibilidade de amar ou distância que os separava porque nada os separava, ele apenas tinha uma doença chamada Cancro.
Para além de ela o amor ela despediu-se com um bilhete acompanhada do quadro que ele pintou com o rosto dela e no bilhete dizia:" Que no último segundo da minha vida o teu rosto seja a última coisa que irei ver."
Apartir desse dia a Carol teve a certeza de que não iria ver mais, mas o que podia fazer era pintar uma história com ele que numa outra vida poderia vir se realizar.
É bonito que até num amor perdido exista a esperança.