quinta-feira, 30 de abril de 2015

Tamanho irreal

Tempos díficeis permanecem na minha vida.
Ás vezes apetece estar debaixo do chão que todos os dias eu piso, porque sou pisada sempre nem a minha cabeça começa estar mais erguida.
Queria viver tanta coisa, mas falta-me coragem de ver o sol, as pessoas, perco coragem de falar e sorrir.
Coloco as mãos na cabeça, mas perturba-me tanto como podem magoar-me sem pensar que talvez eu sinto, coloco as mãos em volta ao meu corpo, mas tenho raiva quero bater em mim própria, quero magoar-me fisicamente coisa que não fazem invés de falarem merdas sem pés e cabeça.
Tenho dias que sinto uma Rainha e outros tempos que sou insignificante.
Tu és melhor que eu, é por isso que permaneces a fazer isso comigo alterando todos os meus caminhos.
Quero caminhar sozinha sem ajuda de ninguém, mas é impossível tu és melhor que eu.
Deito na minha cama chorando sob promessas, sob a tua voz, sob esse castigo.
O tamanho do meu coração já foi tão maior e agora reduziu-se, ou é não tem um tamanho específico, é irreal.
Sabias que já fui definida entre a falsidade, mas tu és pior que eu.
Um ser que amo, mas que deveria desaparecer.
Não quero-te mais aqui, vai-te embora.
Fica com ela!

nono

DIY - Presentinho para o dia da Mãe - Origami





Esta é a minha ideia para o dia da mãe.
Este origami de uma borboleta pode ser utilizado dentro de uma caixa cheia de borboletas coloridas com mensagens nas asas.
Pode ser colocado num postal por dentro ou na capa junto com a mensagem que queremos transmitir.
Não fácil fazer um origami, é irritante, mas com muito esforço uma pessoa chega lá!
Minhas queridas e queridos bloggers vamos usar a nossa imaginação e criatividade.
Desafio lançado! ❤️


                                                     nono

Dezarie



É a minha cantora de Reegae favorita.
O seu nome é Dezarie.
A forma com ela canta e expressa a realidade deste mundo é fantástico, os temas mais falados é de amor, sermos fortes, confiantes, fala de como o mundo é triste, fala de Deus e paz.
Visto que os não ouvintes deste tipo de música pensam que os cantores de Reegae abordam sobre marijuana e do quão é bom fumar, mas estão muito mal enganados.
Aconselho ouvirem esta artista e deixar de pensar na vida e apenas entrar no ritmo jamaicano.
Vou deixar a minha música favorita dela:


nono

terça-feira, 28 de abril de 2015

Prometo Falhar - Pedro Chagas Freitas


Foi uma meta realizada ter conhecido o escritor Pedro chagas Freitas, foi quem escreveu o livro Prometo Falhar.
Na sessão de autografos foi a oportunidade de ter 10 minutos de conversa com ele, é uma pessoa que tem um prazer do caneco pelo que faz.
O que ele escreveu no meu livro foi: "amor é apenas outra vida- pelo menos aquela que vale a pena viver. Vá á procura dela, todos os dias, incansalvelmente."
Só este momento deu-me vontade de devorar o livro e de momento estou a ler ele outra vez, porque é bonito como ele descreve o amor mesmo que não seije só pela mulher que ele tanto fala no livro, mas sim pelo filho, mãe e pai.
Aconselho todos a ler.


nono

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Afro Punk - Afro Print




AfroPunk, é um festival de música, mas o que fascina mais é mesmo os diversos estilos de roupa, é mente aberta e como se expressam.
É um festival em que cada um vai do seu jeito.
Eu gostaria muito estar nesse meio visto que na sociedade em que vivo alguns ideiais não estão devidamente definidos ou camuflados.
Alguns cantores como Pharrell Williams e Solange Knowles fazem parte dos cartazes deste festival.
Talvez um dia realize o meu sonho.


nono

Deixa-me aqui quietinha, preciso de chorar!


Lá vou sentada no autocarro a escutar The National, o tema da música era Afraid of Everyone. 
Passei o dia a conter lágrimas por ti, lágrimas que nem merecias.
Queria chorar, mas tinha medo de mostrar a minha humilhação, a minha dor, esperava chegar a casa escrever e por fim chorar.
Quis chorar tantas vezes, mas conti as lágrimas!
Lembrei-me de palavras que disseste tantas vezes mesmo separados por uma porta:
Mulher, eu sou teu cavaleiro de armadura Brilhante e eu amo-te!
Nunca vou esquecer os sítios onde estivemos, as promessas de miúdos que faziamos, as noites passadas em claro a falar um com outro, para hoje eu chorar tanto.
1 foi a única hora que tive para dizer-te um único amo-te assim que entraste naquele avião.
Sempre existiu barreiras entre nós, conquistamos tanto para nada.
Deixa-me aqui quieta a sofrer, a chorar, quietinha perdendo o sabor da vida.
Sou tão inútil!

nono

domingo, 26 de abril de 2015

Sinto-me desconfortável, por não ser amada

Grito por todos os nomes, gostava de ofender-te ou mesmo bater-te, gostava de forçar qualquer pessoa para chegar perto de ti e dizer-te que odeio-te.
Sinto-me desconfortável por ainda amar alguém que foi entregue aos braços de Outro alguém.
Falo de paz, descanso, mas depois sinto raiva e tanta, tanta, mas tanta solidão.
Afogo-me entre as lágrimas mais frias da minha vida, elas escorrem pela minha face aconchegando a temperatura do meu corpo que não estava nada normal.
Choro e irei sempre chorar sobre um assunto que deveria ter guardado, deveria não sentir desconfortável, mas eu não sou amada mais.
8 foi um número longo, curto, alegre e arrebatador.
Tenho dor não quero que ninguém cure com palavras de consolo, eu não preciso de consolo, não preciso de mais uma voz perturbando meus pensamentos.
"Não sou igual as outras, sou a mulher ideal, sou a romântica, sou cuidadosa, sou amante de ti e dos nossos segredos, sou, sou, sou... E não fui feita para nenhum, ninguém, não é porque não merecem, mas porque não fui feita para tal.
Inveja defini-se no amor que vivo, vivo de inveja da mulher que ficar contigo, tocar-te e poder ver-te adormecer.
Sempre que via-te adormecer sentia paz porque estavas ali simplesmente feliz comigo.
A tua face transmitia um orgulho, orgulho pelas coisas que batalhaste.
O último olhar que pude dar foi quando disseste que não serias mais meu, que não servias para mim, que eu amava-te, mas que era injusto para uma consciência pobre como a tua.
Sou tão frágil que com um simples olhar ou uma conversa consegues destruir-me.
Destruíste-me...
Não encontro alegria muito menos pensar se isto pode ser mentira.
Não foi necessário resgatar mais os meus planos contigo, preciso é de esquecê-los.
Preciso é de entender que não precisas mais de ouvir meus suspiros por detrás de uma tecnologia qualquer quando elogias ou brincas com situações tão sensíveis para mim, não terei que dormir pensando que estás presente só para assegurar que não estás sozinho e sentes o mesmo, não terei mais de colocar a nossa música de amor só para lembrar de ti.
Não servimos um para outro quando ao mesmo tempo completamo-nos.
Foste para tão longe e nao viveste o amor onde estás e vieste viver tão perto de mim e afinal não era comigo. Sou egoísta! Eu amo-te!
Humilho-me por este amor tantas vezes!
Que burra!
Ofendo-me tanto, não porque sou uma vítima, mas tu já não me amas!


nono

És só mais uma fantasia - Episódio 10

Era uma felicidade tudo completava-se, mas faltava coragem.
Não tinha tempo para viver amores com humanos, preferia saber que ele estava ali real diante de mim e mesmo assim confortar-me comigo mesma.
Estava cansada de mendigar por amor, não necessitava disso, não necessitava de aceitar em estar em algo que fazia bem, mas que era temporário, não passavam de recordações.
Do que valia vestir as T-shirts do Valentim, cantarmos músicas de anos 90 na cama, de partilharmos momentos íntimos da vida, de fazermos amor e de seguida tomar banho juntos e receber abraços durante o banho com a água cobrindo os nossos corpos de pureza, agarrar-me e beijar em público.
Não valia nada eu ia apegar-me a todos estes momentos e como diz a Alanis Morissette: " isto é tão irônico", iria apegar-me e o Valentim inconscientemente ia dar cabo de mim.
Todos fazem o que querem talvez porque eu deixo, todos amam, odeiam, saciam de desejo e ainda questionam, eu não posso apenas sentir e não ser algo recíproco.
É uma ilusão e os pensamentos das pessoas ainda melhor.

nono

sábado, 25 de abril de 2015

És só mais uma fantasia -Episódio 9




Mais um dia de chuva, impressionante como um dia tão quente e bonito passa a ser tão triste.
Kinara sentia-se nos braços de Valentim não precisava de mais nada a não ser guloseimas, livros e uma cama confortável. 
Não havia mais nada que completasse na vida de Kinara como amar cada segundo da vida, cada conversa, era como se um suspiro vindo do Valentim alimentasse mais os prazeres dela.
Ela não queria olhar para ele directamente simplesmente pelo facto de não aguentar vê-lo molhar os lábios.
Assim que ele finalizasse uma frase, ela desejava colocar a mão dentro de todas as camadas de roupa ele tivesse.
Era um momento muito frágil para ela sabendo que sua mãe não estava bem, ela procurava carinho e atenção, procurava uma razão de sorrir.
A Kinara agia de forma tão inocente e ingênua, mas quando se exprimia todos ficavam a saber o quanto a mente dela estava cheia de sabedoria e coisas preversas mesmo não sendo mau querer ser favorável aos olhos de outros e saber quantos ela atraia, mas o que realmente importava eram aqueles que ficavam a ouvi-la a noite inteira.
Os olhares entre Valentim e Kinara entrelaçavam-se, o medo de Kinara era provar de um amor amargo, parecia não convencer-se do que sentia e e de como vivia.
As fantasias delas estavam todas cobertas de cores, figuras e posições, nos seus quadros, e aquilo que sentia transparecia nas outras personagens dos diversos livros em que ela perdia o seu tempo.
Se ela continuasse a respirar era sorte porque a Kinara pensava tanto, em tantas coisas ao mesmo tempo que praticamente passava maior parte do tempo indecisa.
Tinha medo de amar, de sofrer, odiar... Apenas vivia atormentada.
Por vezes ela desejava ser levada ao céu por alguém que amasse só para provar que já foi feliz.
Para ela ficar sozinha em casa não estava certo porque o corpo dela, os sorrisos sem jeito, a falta de letras nas frases imploravam por amor, imploravam por alguém, por ele, pelo Valentim.
Kinara acaba por perceber que o seu subconsciente é bem real do que ela pensa e que felizmente estava deitado na sua cama.

Continua...

P.s: todas as imagens colocadas nos meus textos são retiradas da Web! Irei tentar respeitar os direitos de autor.

nono

quinta-feira, 23 de abril de 2015

És só mais uma fantasia - Episódio 8

Sempre fui assim, sempre procurei alcançar o amor incansavelmente, aquele beijo significou muito para mim talvez o ínicio de uma nova vida, de novas oportunidades de deixar de estar presa a tudo e mais alguma coisa.
O Valentim com todo entusiasmo perguntou:
- Gostaste do beijo? - perguntou com tanto entusiasmo
- Sim, tu beijas muito bem, mas temos de ir com calma, por favor!
- Só quero que te sintas bem Kinara, deves sentir este tipo de coisas.
De repente, estava a desfrutar daquele momento na praia quando recebi uma chamada inesperada da minha irmã Dinã: 
- O que se passa Dinã?- perguntou Kinara
- A mãe está muito mal no Hospital, tens de vir cá rápido ela precisa de ver-te.
O mundo de Kinara caiu por completo tudo que ela não precisava era ver a mãe de novo no Hospital, ela só tinha um amigo, confidente que poderia ajudar a acalmar naquele momento, ela telefono para ele, mas mesmo assim nao havia jeito de concertar o que ela sentia e que não podia sequer exprimir.
Kinara não sabia o porquê, mas apenas tinha que lá estar.
A despedida entre ela e o Valentim não foi a melhor, mas não havia como permanecer ali com uma notícia daquelas, ela entrou num Táxi e foi a correr.
Assim que ela chega aos braços da mãe quer chorar, mas não pode, é tão proibido e não gostaria nada de demonstrar que a mãe seria culpada de tudo quando realmente não era. 
A mãe de Kinara chamava-se Dorian era mulher doente, mas para além de doente era doce para as pessoas, calmas e explosiva, alegre e triste, solidária e mesmo que outros fizessem mal o coração dela era sempre fazer o bem, é por isso que muitos aproveitam-se disso.
Mesmo deitada na cama daquele hospital ainda sentia-se a lucidez, as brincadeiras dela e aquela voz calma de quem diz que quer voltar para casa, mas só precisa de descansar.
Entretanto, os dias foram passando e fomos procurando melhoria, mas tudo o que Kinara sentia era raiva e não queria em momento nenhum que alguém chateasse ou mesmo fizesse sentir pior do que já estava, mas era tão frustante que ela já gritava com os colegas da Faculdade e trabalho, havia uma coisa que tinha deixado de existir e era o respeito pelos momentos e que não eram todos iguais.
Com o apoio de Valentim tudo tornava-se fácil, ajudava com as compras para a mãe, tarefas em casa, na loja e mesmo fazer compania, não há nada tão bom de sentir um carinho das pessoas independentemente de quem seja, um abraço ou uma brincadeira tola, sónpara desanuviar.
Kinara precisava de ver melhoras, precisava de ser forte, lutadora e responsável, convertar coisas para não perder outras.
Determinação é o dever que ela deve ter


                                                      nono

terça-feira, 21 de abril de 2015

Viagem n* 3 - Itália

                   
               
Eu gostava de ir a Itália a tenho objectivos únicos como provar todas as comidas possíveis, aprender melhor da sua cultura e visitar os monumentos mais importantes e famosos da história de Itália.
É óbvio que não quero fazer isto de um sonho apenas porque está na minha lista de coisas que gostava de fazer antes de morrer. 
Portanto, só preciso de encher o meu mealheiro, ver o tempo certo para viajar, um mapa e roupinha fresca, máquina fotográfica e toca a ir para Itália!

nono

És só mais uma fantasia - 7




Assim que saí da galeria com o Valentim só tinha em mente irmos para um sítio calmo com o som de ondas, areia quente nos pés visto que os dias começavam a ficar loucos, apenas queria ir á praia.
Sentia uma paz que nem o Valentim sabia descodificar aquilo mesmo eu tendo os olhos vidrados de lágrimas, sentei na areia e o Valentim abraçou-me e perguntou- me o que passava :
- Kinara vieste o caminho todo calada, o que tens?
- Valentim... Eu amo um ser subconsciente, ele não existe ou se existe não deveria existir, ele quer estar comigo quando apatece-lhe, ele beija-me e desabafa comigo, ele faz-me gozar a vida de outro jeito, mas no final de tudo isto não é amor nem nada, é só mais uma fantasia que eu criei e acostumei a viver com ela. 
- Parece de loucos, mas compreensível. Tu pareces ser uma mulher que sabe o que quer, és atraente e inteligente, estás a finalizar os teus estudos, trabalhas para sustentar, pintas quadros entre outras coisas que possas fazer.
O que te falta Kinara?
- Sabes amigo eu acho que vivo presa a este subconsciente porque na realidade não tenho nada disso, na realidade estão comigo para matar um prazer, para prometerem e não cumprirem, para amarem um dia e perderem isso num dia, ou fazerem mudar a minha vida e irem embora porque não pertencem aqui.
- Isso custa-te não é? - perguntou com um tom de quem tem pena
- Sim e muito, mostro ser forte que gosto das coisas que faço e agarro-me com fé, mas no final de tudo não sinto-me muito preenchida, parece que vivo ou quero apenas respirar o amor, o amor que não existe! - exclamei com todas as minhas forças.
- Agarra a minha mão Kinara, vamos ali!
- Aonde?
- Anda, deixa de complicar!
Levou a beira da água e perguntou:
- Sentes algo?
- Óbvio, sinto a água fria nos meus pés e daqui a pouco não os sinto mais.
- É bom sentires isso Kinara e sabes que outras coisas consegues sentir?
- A brisa, o cheiro do mar...
- Podes sentir isto!
O Valentim agarrou o meu queixo e tocou nos meus lábios de forma suave, ele beijou-me e eu senti o beijo assim como senti uma adrenalina a descer no meu corpo logo aquele água fria já não fazia diferença.
É raro um beijo assim...

Continua...                                                        

nono

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Tag - Liebster Award


1- Porque decidiste criar um blog?
Eu decidi criar um blog porque desde nova eu escrevia em cadernos ou diários, mas era tudo muito pessoal eu não expunha em lado nenhum pensando que iria ser julgada pelos outros.
Mas eu fui escrevendo mostrando as pessoas e desde aí decidi criar um blog porque assim acabava por valorizar a minha escrita.


2- Tens alguém que admires na Blogosfera?
Sim eu leio bastantes blogs, mas os três o que tenho focado tem sido Written by Joana, Dream Cate e Excesso de Natureza.

3- Em que país que gostavas de fazer?
Eu gostava de viver em Itália porque é bastante histórico, tem comidas agradáveis e uma cultura que agrada bastante.

4- Que mudanças houveram após criares o blog?
Depois de criar o blog comecei a escrever melhor, ganhei novas amigas, ganhei oportunidade de poder publicar em vários sítios, ser nomeada a Tag's e passei por uma mudança muito radical de Design.

5- O teu maior êxito?
O meu maior êxito ainda não sei porque tenho muitos planos, mas até agora tem sido o conto que tenho escrito.

6- O teu maior fracasso?
Não tenho fracassos até agora

7- Blog favorito.
O meu blog favorito é Written by Joana.

8- O que gostas mais de escrever no blog?
Lol eu gosto de escrever textos pessoais , DIY porque acabo por mostrares coisas que faço e dar ideias e também gosto de escrever sobre livros que já li apesar de não ter desenvolvido muito.

9- Viajar, comer ou cantar, escolhe uma e porquê?
Viajar porque gosto de ver novas pessoas e conhecer novas pessoas

10-  Um conselho ou truque ou dica que trates no teu blog que seija de teu interesse?
Seria na DIY dar dicas para as bloggers fazerem as suas próprias roupas.

11- Espero que continues actualizar o teu blog, que novidades vais trazer?
Até agora pretendo desenvolver todas as minhas etiquetas.

11 factos sobre mim:
1- Adoro bacalhau com natas
2- Tenho uma gata
3-  Tenho medo de alturas
4- Gosto de conhecer novas pessoas no dia a dia
5- Adoro estar apaixonada porque faz-me sentir bastante alegre
6- Amo brocólos cozidos
7- Adoro estilos de música alternativos
8- Gosto de sair á noite
9- Adoro estar na cama em dias de inverno com chuva lá fora
10- Adoro andar de pijama
11- E sou viciada em blogger, Tumblr e Pinterest

Fui nomeada pela Catarina do Blog Agulhas e Sabores e soube muito bem escrever sobre este tema.















nono

domingo, 19 de abril de 2015

Casacos com tecidos estampados


Num fim de Semana em que não tinha ideias para nada como tenho o App Pinterest acabei por tirar muitas ideias e mexer com a minha roupa.
Eu vi uma ideia para estampar casacos e como eu tinha este casaco de ganga e tecidos africanos em casa agarrei na minha máquina de costura, fiz magia e deu nisto.
É uma ideia muito original e pode ser usado qualquer padrão ou tecido.
Fiquei contente com o resultado, espero que ponham a mão na massa pois esta ideia é mesmo para quando já temos certas roupas em casa que já não gostamos delas.

Tudo o que precisam :
Um casaco de ganga
Tecido
Uma tesoura
Régua
Giz ou um lápis para marcar o que vamos cortar
Agulhas ou máquina de costura ( visto que mão demora-se mais tempo, mas tem o mesmo resultado, convém é ser bem cozido)

Beijinhos e Boa sorte!














nono

És só mais uma fantasia- 6

Agarrei o Valentim pelo o braço arrastei-o até a entrada só para libertar os meus nervos.
Naquele momento não pensava em outra coisa a não ser não trocar nenhum olhar com o Jonathan, sinceramente correu mal a minha fuga pois o Jonathan viu-nos:
- Olá Kinara, foges de alguma coisa? - perguntou o Jonathan com um tom irônico.
- Não, não fujo de nada, eu tenho medo de abelhas e apareceu uma e estava a tentar não estar ao pé dela. - ( admito que não foi a minha melhor desculpas dos tempos)
- Boa tarde, meu nome é Valentim, muito prazer Jonathan - saudou ele como se alguém tivesse perguntado
- Eu sou o Jonathan, um amigo da Kinara que pelos vistos ela foge de mim
- Jonathan eu não sabia que erámos amigos realmente as pessoas adoram arranjar pequenas histórias ou pretextos para estarem a volta das pessoas que não os querem por perto - Kinara responde de forma afastar o Jonathan

Mesmo assim Jonathan continua persistente e quer ver onde aquela conversa vai parar :
- Kinara será que não estás arranjar mais um motivo de fugires de mim? - Jonathan interrogou aquilo em frente ao Valentim
- Valentim, desculpa podes dar uma volta que eu já vou ter contigo?
- Claro Kinara fica á vontade!
- Jonathan, já que aqui estamos sozinhos respondo a tua pergunta. Eu vou contradizer-me neste momento, mas eu não quero estar perto de ti, eu fujo de ti porque estou comprometida com alguém e tenho medo que faças sentir algo novo, mas eu mal conhece-to...
- Mas estás comprometida com quem? Com o Valentim?
- Näo Jonathan, eu estou comprometida com o meu Subconsciente.
- Kinara tu só podes estar a gozar comigo! - exclamou ele
- Não Jonathan eu estou a falar sério é como se tivesse algo dentro de mim que ama cada segundo,que faz coisas comigo como um homem físico, que aconselha-me e faz- me rir.
O meu subconsciente faz eu querer apenas estar sozinha com ele e guardar todos os nossos segredos.
Jonathan ele parece tão real que deve existir e talvez ainda não apercebi-me,mas por enquanto vive em mim.
- Kinara tu precisas de ajuda! - exclamou olhando para mim como se fosse uma louca
- Querias tanto saber e agora passo por louca..
-  E o que vais fazer em relação o Valentim?- interrogou ele com um tom de esperança
- O Valentim é apenas alguém interessante que estou a conhecer.
- Ok Kinara, boa sorte,
Finalmente o Jonathan decidiu ir embora e acabei por fechar mais uma página, mesmo passando por louca.

Continua...


                                                            nono

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Tag- That's True?





1. Adoro morangos com Chantilly
2. Costumo usar Grunge style
3. Oiço Pimba
4. Adoro escrever
5. Consigo fazer a espargata com mochila as costas
6. Tenho uma sala secreta na Cave do meu prédio
7. Gosto de dançar em frente ao espelho
8. Sou muito má
9. Já bati num rapaz que ficou sem dente
10. Apaixonei-me por um Satânico
11. Vejo todos os dias a Maria Helena
12. Tenho uma Foto com o Anselmo Ralph
13.Odeio adormecer ao telemóvel
14. Gosto de Sopa
15. Jogo playstation
16. Estou a uma semana sem ir ao Facebook
17. Já parti uma sanita
18. Em pleno trabalho deixei a comida do cliente cair no chão
19. Não vejo filmes de terror
20. Sei as músicas da Xana toc toc
21. Já parti um braço
22. Queimei meus próprios diários pessoais
23. Já caí no meio de uma multidão
24. Jogo Dead Trigger
25. Um gato reencarnou em mim( talvez)

Fui nomeada pela Ana Teresa Lontro, do Blog http://asidiotasdoseculoxxi.blogspot.pt/ .

Gostei muito, deu para relembrar certos acontecimentos da minha vida.
Beijinhos


                                                    nono

quarta-feira, 15 de abril de 2015

És só mais uma fantasia - Episódio 5

Hoje coloquei o meu vestido florido cor de rosa de saia rodada, pretendo espalhar um pouco da minha alegria visto que conheci ontem alguém que também gosta de livros.
Sinceramente eu quero mesmo conhecer o Valentim, ele tem algo que mexe comigo, mas de certeza que é somente a inteligência dele que atrai.
São 15 horas e vou voltar a descer até aquele café, ahhh se eu não fosse a Kinara não fazia isto, acho que preferia estar na cama, com chocolates e panquecas a ver um filme ou de macacão a pintar quadros.
Acabo de chegar e sento-me na mesma mesa onde estavámos juntos e lá vejo o rapaz moreninho a entrar:
- Olá Valentim, estás bem? - respondi aquela animação meio sinistra
- Olá Kinara, sempre gira, gosto de ver-te com essa cor, dá-te mais brilho.
- Hahaha Valentim, agora ganhaste, sim estou bem e obrigada pelo elogio.
- Bom Kinara eu hoje não pretendia ficar aqui especado a olhar para ti e o teu vestido Rosa, logo vamos para um sítio que eu acho que vais gostar
- Ok para onde levares eu vou! - respondi entusiasmada com o convite
Confio no Valentim levar-me a um sítio que desconheço, mas assim que chego os meus olhos quase saiem da minha cara.
Ele trouxe-me á Galeria de Gustave Loon, são os meus quadros favoritos, não sei mas admiro aqueles quadros cheios de confusão que só eu percebo as cores e a história.
Fiquei totalmente especada a olhar para um quadro e veio tantos pensamentos e desejos.
O meu corpo congela e alguém dá-me a mão, um calor dilacera o peito.
Se pudesse descrever minha história e meus desejos seria dentro daqueles quadros em que faço amor com a minha mente, em que grito o nome do meu subconsciente.
Ele empurra-me como se não sentisse e puxa-me como se desejasse e amasse duas ou três vezes por semana, ele anda por debaixo da minha sombra que acompanha todas as minhas tristezas.
Continuo a não apaixonar por ele, mas não desisto destes segredos que só eu e ele temos, ele rejeita-me tanto e como tem na palma da sua mão eu volto sempre a pensar nele e acostumar com a ideia.
Entretanto, enquanto andavámos pela Galeria o Valentim notou que eu estava bastante calada e perguntou:
- Kinara não queres estar aqui? Não gostas?
- Não é exactamente isso, Valentim, tu nunca sentiste como se tivesses algo ou alguém a comandar a tua consciência?
- Mas porquê essa pergunta andas meio melancólica, ve lá se não tornas-te numa Lana Del Rey kkk!
- Que graça! Esquecendo o que eu disse, já reparaste no pormenor deste quadro?- respondi entrando com uma outra conversa.
- Bom eu aprecio arte, mas este quadro é todo azul.
- Não sentes algo quando vês esta cor?
- Paz, pureza, alegria, sei lá é uma cor tão profunda que leva a cada pessoa sentir algo diferente

Quando estou a ouvir a explicação do Valentim olhando para os lados vi o Jonathan, ohhhh não!

Continua....

nono

domingo, 12 de abril de 2015

500 Days of summer



Foi um dos primeiros romances que eu vi, este filme tem como tema os 500 dias de Summer (verão) é propriamente um Romance/ Drama.
Está baseado num Romance entre duas pessoas que são completamente diferentes, mas é bonito perceber que quando estamos com alguém diferente de nós é bom, o pior é quando aquela relação não nos dá mais prazer apesar dos bons momentos que passamos juntos.
Neste filme mostra uma cena muito realista é mesmo as coisas que nós esperamos de alguém e não nos pode dar, é a expectativa e a realidade, que provavelmente a pessoa já não pensa em nós e não quer mesmo saber de nós, mas que no final de tudo haverá sempre alguém que nos queira por perto. 
É engraçado para quem gosta de romances e ao mesmo tempo perceber a realidade das relações na actualidade.

nono

És só mais uma fantasia- Episódio 4

Depois daquele dia menos normal na minha vida, hoje decidi ir a uma loja Vintage na baixa, são muitas pessoas que visitam aquele local.
Olhei entre as cortinas para ver como estava o tempo e estava um pouco melhor que o dia anterior, lá estava eu com o Jonathan na minha mente, mas eu não queria nada daquilo talvez estou confusa.
Vesti umas calças Skinny Jeans, uma blusa verde alface e uns tênis de desporto assim mais práticos visto que ia desanuviar um pouco.
Desci as escadas do prédio e dei de caras com o porteiro:
- Bom dia, Dona Kinara hoje como se sente?
- Obrigada Senhor Sebastião, eu hoje estou bem disposta.
- Aqui estão algumas cartas do correio que já deveria ter levado para cima.
- Muito obrigada!
Atravesso a estrada e vou descendo o parque com os fones nos ouvidos ouvindo Natiruts, é uma banda de reegae brasileiro, faz-me sentir feliz e com esperança de que um dia a minha vida fará sentido um dia.
Gosto de reegae talvez algum dia poderia usar umas rastas em algumas partes do cabelo, poderia usar mais cores alegres, não sei o tempo passa e pedem mais profissionalismo, mas quem me dera poder juntar as duas coisas ser um ser de mente aberta e profissional.
Creio em muitas coisas, mas nem todas são possíveis de acontecer.
Entretanto, estou a chegar a loja Vintage depois de andar tanto e numa espécie de conversa com a minha consciência que nem sempre responde.
Esta loja parece uma espécie de biblioteca moderna onde servem cafés, bolos, temos música e podemos estar descansados a ler um livro e aqui criam-se demasiadas amizades.
Agarrei um livro e começo por ler as costas do livro para ver se suscita alguma curiosidade e nada, parece mais um livro de romance que só tem um sentido.
Caminhando entre tantos corredores procuro o livro ideal e começo a sentir uma presença nas minhas costas, parecendo que alguém quer dizer algo ao ouvido, volto a ouvir uma voz na minha mente e ver aquele sorriso lindo, de um amor que não sei onde está, que é como uma figura angélica.
Sei que não posso estar apaixonada por esse alguém, mas é uma fantasia que exita-me sempre, pareço louca, mas sempre que ele invade meus pensamentos sinto-me assim paralisada, sinto essa presença que parece morar mesmo em mim, parece que controla os meus passos, parece que é o motivo de afastar toda gente de mim.
Seria tão feliz se ele não voltasse assim do nada como faz!
Acabei por encontrar um livro, mas não sei se vou comprá-lo talvez vou pedir um café e ficar ler só para passar o tempo.
O livro consta ser interessante, mas mais interessante é o rapaz que está olhar para minha mesa, é moreno, olhos castanhos, uns lábios carnudos e rosas, mas que olhar profundo, deixa-me meio intimidada.
Ahhhh ele dirige-se para aqui é neste tempo em que estava a descrêve-lo estava olhar para ele:
- Olá, eu estava aqui a ler um livro e como vi que estavas aqui decidi ganhar coragem e falar contigo, já agora o meu nome é Valentim.
- Que apresentação, o meu nome é Kinara, eu costumo vir cá não são muitas vezes, mas bom para nós! - respondo com alguma simpatia
- Prazer é todo meu Kinara e eu já li esse livro que tens na mão espero que o entendas.
- Também acho que ele é um pouco confuso, mas talvez preciso de tempo.
- Já que estou aqui gostava de saber mais coisas sobre ti, o que fazes fora desta vida por detrás dos livros?
- Ah.... Valentim não é?
- Sim
- Eu pinto quadros e trabalho numa pastelaria para tentar acabar os meus estudos na Faculdade, não tenho uma vida interessante. E tu?
-  Eu faço trabalho voluntariado, escrevo livros para crianças e estou no segundo ano na Faculdade de Letras.
- Vês Valentim a tua vida parece ter mais sentido, fazes algo que contribua para a sociedade
- Kinara, não devias pensar assim ás vezes nem todos podemos levar o mesmo rumo de vida nem sempre é possível, mas olha tu pintas quadros e tenho curiosidade de os ver um dia.
- Obrigada por não fazeres sentir mais embaixo. - respondo toda corada!
- Tu és tão bonita, a forma como sorris como uma meninha inocente, como desfolheias os livros, como passas o café nos teus lábios.
Ele está aqui a falar de mim como se fosse uma musa, e é quando ele fala dos meus lábios que involuntariamente eu mordo o meu lábio superior.
- Valentim, o teu cabelo parece ser tão macio - respondo como se não quisesse dizer tal coisa
- Desculpa, disseste o que?
- Nada, eu estava a dizer-te que infelizmente tenho de ir embora.
- Então quando podemos nos ver outra vez Kinara?
Lanço uma gargalhada e respondo: 
- Amanhã ás 15h, nesta mesa, não te atrases!
- Ok, então atè amanhã.
Sendo assim ele despede-me com dois beijinhos, pagou o meu café sem eu saber e foi embora, é bastante simpático este rapaz, acho que vou dar-lhe uma oportunidade.

Continua....


nono

quinta-feira, 9 de abril de 2015

És só mais uma fantasia- Episódio 3

- O meu nome é Kinara. - parecia sentir borboletas no estomâgo.
- Prazer, o meu nome é Jonathan.
- Bom parece que hoje é o meu dia de sorte, mesmo com a minha roupa cheia de lama - tentava disfarçar a humilhação. 
- Posso entrar? - perguntou ele com um ar transmitindo receio.
- Sim podes, mas por favor descalça os sapatos, é um hábito tradicional.
- Gosto da tua casa tem um design mesmo muito clássico.
 - Podes ficar a vontade Jonathan, se quiseres até podes fazer um chá ou um café enquanto eu tomo um duche rápido, até já! 
- Até já Kinara!
Estava eu metida na casa de banho debaixo de um duche quentinho sem saber o que fazer e lá vinha ele no meu pensamento, a minha dita fantasia, que intrometia-se com todos os meus movimentos.
Não entendo o porquê de ele surgir sempre quando penso em recomeçar algo. é como se não quisesse que eu fosse feliz.
Entre todos os truques existentes não sei qual deles usar...
Entretanto, amarro uma toalha à cabeça e outra à cintura e já toda aprontada lá vou caminhando em bicos de pés em direcção à cozinha, visto que ter um estranho na minha cozinha não é comum.
- Olá outra vez Kinara, já estás mais relaxada? -responde ele com um jeito metido.
- Com certeza, Jonathan.
- Kinara, preferes chá de frutos vermelhos ou Caramelo?
Sinceramente, ele parece-me conhecer de algum lado, mas eu não sei de onde nem como isso pode ter acontecido porque eu mal conheço pessoas assim com tanta facilidade.
Porém, eu respondi:
-Humm interessante que são um dos meus favoritos, mas hoje bebo Caramelo. Realmente é um rapaz surpresa para mim como tu ter dado de caras comigo visto que sou um pouco despassarada.
- E um rapaz como eu não pode dar de caras contigo porquê?- respondeu ele com uma respiração meio alterada.   
- Porque...porque...- lá estava eu a gaguejar como sempre faço quando não pretendo dizer o que penso.
-Eu tenho o quê, Kinara? Se só nos conhecemos hoje? O que eu fiz ou disse de errado? -ele parecia não ter gostado do facto de estar agir de forma tão estranha.
- Jonathan, auch, fogo queimei a língua com chá!
- Devias ter mais cuidado, o que te deixa tão nervosa com a minha presença? - lançando-me um olhar intenso
- Sabes que mais, olha eu acho que nem deverias estar aqui. É melhor ires embora e peço que te mantenhas longe de mim.
- Realmente és um pouco rabugenta e tratas-me como se não quisesses que estivesse aqui.
Levantei da mesa como uma bruteza que não via o que estava a minha frente, apenas queria que ele fosse embora e não aparecesse nunca mais aqui.
- Vai-te embora Jonathan, vai-te embora, por favor saí! - gritei como se estivesse dentro de um sonho qualquer
- Kinara não podes afastar toda gente porque te apetece!
Mas como podia ele dizer tal coisa se nunca estive com ele, acho que há algo de errado, raios...

Continua......


                                                          nono

quarta-feira, 8 de abril de 2015

The National




                                                   

Descobri esta banda na altura em que dava a série Gossip Girl e em que era propriamente moda ouvir Indie Rock, não que tenha deixado de ser.
The National são uma banda de Nova Iorque.
O que eles transmitem nas suas músicas é melancólia e um pouco de Romance ao mesmo tempo e sinceramente dá-me mesmo muito prazer de ouvir estas músicas, mesmo pelas letras e o instrumental.
The National lançou bastantes discografias e já ouvi todas elas e sempre que as oiço sinto-me totalmente diferente e relaxada.
Vou deixar aqui os nomes do álbums que mais gosto, ou seja, todinhos:

  1. The National (2001)
  2. Sad Songs for Dirty Lovers (2003)
  3. Alligator ( 2005)
  4. Boxer (2007)
  5. High Violet (2010)
  6. Trouble Will Find Me (2013)
Vou deixar aqui um vídeo das músicas que mais gosto.
Viva ao Indie Rock!


                                                           nono

És só mais uma fantasia- Episódio 2





Naquela tarde em que estava sentada num banco celebrando a minha primavera, tudo acabou por mudar.
O céu ficou tão cinzento passei a ser apenas uma cor no meio da escuridão, chovia tanto e nem um guarda-chuva eu tinha.
Corria, corria e corria, só queria chegar a casa, tirar aquela roupa molhada, mas ia tão apressada que não via o que estava a minha frente, acabei por tropeçar e acabei com a minha cara esparrachada no chão cheia de lama.
Um rapaz chegou-se ao pé de mim e perguntou:
- Estás bem? Precisas de algo? - com um sorriso no canto dos lábios.
- Que pergunta, achas que pareço bem? Não olhes para mim! - respondi com uma voz parecendo ofendida.
- Eu só quis ajudar-te, deixa-me ajudar-te estás toda suja. Posso ajudar-te a chegares a casa?
- Não! Vai-te embora não quero a tua ajuda, nem que acompanhes a lado nenhum!
- Eu insisto!- exclamou ele pensando que eu iria ceder
Entretanto, eu com minha teimosia decidi seguir em frente e nem olhar para trás, juro que não suportava sentir a lama secar na pele como se tivesse feito uma máscara de argila verde.
Assim que cheguei a porta de casa procurei tirar as chaves do bolso das minhas calças, olhei pelo canto do olho e lá estava o rapaz a olhar para mim do outro lado da estrada, é estranho.
Entrei rápido pelo prédio a dentro quando ia fechar a porta ele colocou o pé impedindo de fechar, olhei para ele como estivesse realmente ameaçar e ele perguntou:
- Qual é o teu nome?

Continua...

nono

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Massacre no Quênia




Esta imagem é chocante não é?
Já viram a quantidade de pessoas que foram mortas inocentemente?
É uma imagem de um acontecimento que vai rodar o mundo, que irá nos deixar alertas .
Infelizmente, todos estes estudantes tinham um sonho talvez de acabar a escola e dar uma vida melhor aos seus familiares.
 Todos eles deveriam ter tantas ideias e empregos de sonho e este foi o seu fim, sem uma única explicação.
Hoje, olho para África com uma lágrima derramada e fico perguntado como estarão as mães de cada um destes jovens, como será a sua vida daqui para a frente?
Será que irão dormir pensando que o filho ou filha regressará a casa?
A violência é algo incentivado em todo o lado e de todos os tipos e nunca podemos dizer que em Portugal isso nunca irá acontecer.
Nem sonhamos quando chegará o dia em que um estranho dê cabo da nossa vida, pois estes irmãos, nossos irmãos do Quênia estão a descansar, mas dor ficou com todos nós.
Enquanto houver incentivo a violência, estes ataques irão continuat!

#147NOTJUSTANUMBER



nono

domingo, 5 de abril de 2015

És só mais uma fantasia




Sentei-me no banco de um jardim, apreciava todas as cores, a brisa fresca de primavera e o sol a queimar minha pele.
Lá eu sonhava acordada sempre que pudesse, sempre sozinha, mas com a tua voz e o teu sorriso na minha mente. 
Custa-me acreditar que já não estás aqui!
Fico lembrando do teu beijo que dava cor ao meu dia, era sair dum sítio escuro e tão pesado para ás vezes ver cor e luz a incidir na tua pele.
Se meu corpo estivesse nu, sabia que do teu lado imaginava ele coberto de flores que rodeavam a minha volta.
Oh meu amor, apenas queria saber como cheirava a tua pele, uma única beleza que só tu a tens e nem sei porque insistes em deixar-me em pedaços.
Não consigo abrir meus olhos de imaginar tantas coisas bonitas, vivo um sonho, sou tão feliz mesmo aqui sozinha imaginando que estou olhando para ti.
Aquela brisa fresca nos invade por minutos no pescoço, é os segredos que deixamos um com outro, segredos profundos e inesquecíveis.
Não falo de amor porque és a minha fantasia apenas vives dentro de mim, nada mais!





nono

sábado, 4 de abril de 2015

Preciso do meu espaço

Aposto que muitos já ouviram esta frase ou muitos já a disseram.
Afinal precisar de espaço implica mesmo indirectamente pedir que queremos estar solteiros, queremos nos divertir com as amigas e os amigos, preencher o tempo com coisas proveitosas para nós e conhecer novas pessoas para nos identificar.
Pedir espaço é como pedir a vida que nós queremos de volta, eu como rapariga e pessoa que gosta de dançar quando saí com os amigos gosto de poder dançar o que eu quiser e como quiser, para mim nossa forma de dançar nunca deveria ser restrita mesmo porque não demonstramos nem sentimos o que realmente somos.
Admito que estar numa relação é bom sim, é fantástico porque como mulheres nos sentimos acarinhadas, especiais e muito mais bonitas, mas para mim o essencial é não ter uma espécie de olhos imaginários na minha mente e uma voz dizer que ele ou ela não vai gostar porque é errado. Só se for para eles!
Temos tantos limites, mas mais uma vez vivemos numa sociedade restrita que ela própria diz que é errado algo quando na tua ideia talvez não e ainda melhor, que pedir o seu espaço é porque faz intenções de trair, entre outras.
O mais importante é não magoar e deixar uma pessoa sem saber o que deve fazer.
É aborrecido! Não vejo nada de errado em querer não estar em algo que provavelmente já não era nossa onda, realmente não implica o tempo ou a qualidade de paixão que as pessoas tiverem, e nós como ficamos no meio disto tudo?

nono

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Kimono




Eu fui buscar esta ideia ao Pinterest visto que tenho uma conta recente lá.
A imagem que postei é como podemos fazer o nosso próprio Kimono da forma mais rápida e prática, basta termos um tecido, uma régua, uma tesoura, e uma máquina de costura ou agulha( ou seja fazerem á mão), desde aí é o suficiente para fazermos nosso kimono e usá-lo no verão.
Espero que tenham gostado desta ideia, estão prontas para fazer o vosso?
Vou fazer o meu e postar assim que estiver pronto.
Beijinhos!



nono

Foi como uma promessa

Tantas promessas que muitas vezes não quis crer que continuavam por se cumprir ou que já foram até mesmo realizadas.
Já experimentaram prometer e esperar que se realizasse nem que fosse por anos?
Isso até parece mentira, mas existem pessoas que arriscam a ficar á espera, mas é mesmo porque elas acreditam nos seus príncipios.
Gostava de ter esse espírito e viver dessa maneira.
Eu realizei uma promessa que não foi cumprida por mim, mas no meio disto tudo eu fico feliz da maneira como posso desfrutar destas pequenas coisas.
Posso sentir que não fui esquecida apenas esperaram por mim para uma promessa ser cumprida.




nono