sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Realidade e negação

Ensinaram-me a ser mulher e para ser mulher teria de saber encarar a realidade, que o mundo não é como algum dia sonhei em que não haveria problemas, doenças ou até mesmo inimizades e aí entra   a negação.
Ou seja, uma forma que usamos para nos sentirmos melhor que é negando a realidade, mas quando deparamos com ela não temos uma boa maneira de lidar, muitas das vezes nos isolamos, evitamos falar da situação ou ver-nos de frente com ela, procuramos silêncio e paz.
Portanto, desligar-nos da realidade fará com que tenhas alguns conflitos com que está habituado a viver a realidade, porque não estar de frente com realidade só nos torna fracos e inseguros.
O isolamento deve ser temporário!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Amor não correspondido

Primeiro, é fodido!
Já passei por isso e praticamente é entregares de uma forma a uma pessoa, passarem horas ao telemóvel e dizerem aquela típica frase: "gosto muito de ti best", quando na realidade é "eu amo-te e não sei se vou continuar a esconder isto."
A pessoa é capaz de ter comportamentos tão estranhos que faz com que tu acredites que talvez sente algo por ti e que tenham muitas coisas em comum. 
Tu gastas tempo a valorizar uma pessoa quando talvez podias ter gasto em algo ou alguém com futuro.
Entretanto, tu levas uma tampa assim que decides dizer que gostas dele ou dela e o mais difícil é saberes lidar bem com isso. 
Um amor não correspondido é provavelmente aquele que depois de muito tempo não vais dar importância, mas que no caso das raparigas começamos a pensar no "Porquê que ele não quis nada comigo" e as conclusões são talvez não sou atraente, talvez não tenho um corpo bonito, talvez.....
Ás vezes, o problema não somos nós porque cada um tem a sua personalidade e maneira de lidar com certas situações muito diferentes e sempre aparecerá alguém que irá corresponder com o nosso "eu".
Segundo e último, hoje vais te rir como caraças da figura de parva que fizeste quando andavas sempre a pensar nele e atrás dele.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Desanuviar

Preferia estar num sítio pacífico, um sítio de vestido branco num sítio cheio de nuvens e um céu azul. Num sítio cheio de luz divina. Num sítio em que não pudesse escutar minha voz, num sítio em que não sentiria o toque, num sítio que não saberia se estava viva ou não. Num sítio com velas de agradecimento e areia nos meus pés.
Queria não sentir nem frio nem calor, queria deixar-me ir ou seguir algo um rasto,uma luz, alguém.
Precisava de desanuviar do tempo, num silêncio profundo, precisava de ter meus olhos fechados, precisava de inspirar em outro sítio que desconheço.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Uma família, uma religião

Hoje vou falar de famílias, não famílias de sangue, mas sim famílias que fiz a minha vida inteira. Conheci pessoas como todos conhecem, criei laços com elas, fiz promessas com cada uma delas, até prometi coisas a Deus que não sabia se um dia iria cumprir.
Uma religião não é apenas estarmos lá a ouvir o que as escrituras dizem e saber da vontade de Deus.
Basta tu escolheres um caminho diferente todas as pessoas afastam-se e deixam de falar como se nunca tivessem conhecido, passam por ti na rua como um estranho para manter a sua integridade, poderem julgar tua vida alheia sem saberem do teu novo eu ou crescimento de estatuto social.
São muitos deles os primeiros a espera de verem se erras na vida para dizerem que estavam certos a tua saída da religião e por saíres és considerado como os outros, ou seja, és colocado no mesmo saco.
Dado ao meu conhecimento não esqueci as passagens biblícas quanto ao próximo! 
Nos olhos de alguns vejo carinho, talvez um pedido para que volte a ser a pessoa que era e no sítio onde estava, mas todos viraram as costas e nada será o mesmo.
Iria começar do zero assim como fiz aqui fora. Mas sou feliz aqui porque não faço maldade a ninguém a não ser a mim mesma, se tiver que dar contas a Deus isso é comigo e com ele.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Pais e mães solteiros

Ao pedido de um amigo hoje irei abordar um pouco do tema sobre os pais solteiros.
Sim porque ele é um pai solteiro e nunca imaginaria que depois de o conhecer a tantos anos ele fosse ser um pai responsável, seguro das suas decisões e que soubesse como cuidar de uma criança porque não é fácil.
Uma das coisas que todos os pais passam e ultrapassam é uma separação ou um divórcio, por momentos vemos no olhar deles que estão completamente perdidos e por vezes não sabem o que fazer, mas tem concretamente que entender que eles não são os únicos nessa situação.
Portanto, o que eles fazem é como um plano para a vida inteira é manter os filhos com saúde, bem vestidos, com alimento, seguros debaixo de um tecto e poderem ter uma boa educação.
Na minha opinião, os pais devem sentir-se orgulhosos e saberem que fizeram tudo ao seu alcance.
Porque graças a eles estamos aqui, somos felizes e só temos de agradecer.